Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A possibilidade de Raquel Dodge conquistar mais um mandato à frente da Procuradoria Geral da República (PGR) vem causando uma divisão interna entre os procuradores integrantes de seu gabinete.

Ao contrário do primeiro processo que foi escolhida, a atual Procuradora Geral disse estar à disposição para continuar no cargo com uma candidatura por fora da lista tríplice.

Na casa, procuradores da área criminal divergem em relação ao vice-procurador-geral, o vice-procurador-eleitoral e outros subprocuradores-gerais.

Enquanto o primeiro grupo defende o respeito a lista tríplice que será formada no dia 18 de junho, o segundo grupo defende a permanência de Dodge e argumentam que existem vícios na votação que forma a lista.

Entre as alterações reclamadas está a exclusão dos aposentados no processo de escolha, o grupo é considerado uma base eleitoral de grande importância para Raquel Dodge. O Globo