Foto: Reprodução/Redes Sociais

Uma possível dívida de drogas com uma facção criminosa de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, é investigada como motivação do assassinato do guitarrista da banda Afrocidade, Flávio de Oliveira Silva, conhecido como “Fal Silva”.

“Existem indícios, que estão sendo apurados no inquérito inicial, que existe uma vinculação a uma possível dívida de drogas, que o músico tinha com uma facção, que existe em Camaçari. Os indícios serão apurados durante o inquérito”, disse o delegado Antônio Dirceu, coordenador de operações da 4ª Delegacia de Homicídios de Camaçari.

Fal Silva foi espancado até a morte, no dia 24 de maio, na cidade de Camaçari. Na terça-feira (4), um homem suspeito de envolvimento no crime foi preso durante a Operação Euterpe. O suspeito foi identificado após análises de imagens de câmeras de monitoramento e depoimentos de testemunhas. Ainda de acordo com a polícia, ele é integrante do grupo criminoso.

De acordo com a polícia, mais de 30 policiais civis, com o apoio do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM), também cumpriram mandados de busca e apreensão nas localidades de Novo Horizonte, Jardim Limoeiro, Ponto Certo e Nova Vitória.

Durante as ações, equipes da 4ª Delegacia de Homicídios de Camaçari (DH/Camaçari), com o apoio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), apreenderam porções de maconha, balança digital, um revólver calibre 38, duas capas de colete e aparelhos celulares.

Outros homens foram presos em flagrante no bairro de Jardim de Limoeiro, durante o cumprimento dos mandados judiciais de busca e apreensão. No entanto, não há indícios de envolvimento da dupla no crime. A Polícia Civil não detalhou o motivo das prisões dos dois. Todo material apreendido será encaminhado para perícia, no Departamento de Polícia Técnica (DPT), informou a Polícia Civil. G1