alba

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Adolfo Menezes (PSD), sinalizou que o requerimento pedindo a instalação da CPI da ViaBahia na Casa deverá ser arquivado. Em conversa com jornalistas na terça-feira (08), durante a sessão plenária, o parlamentar afirmou que a proposição, apresentada pelo deputado Marcinho Oliveira (União), está sendo analisada pela procuradoria jurídica do Legislativo.

“A CPI da ViaBahia foi encaminhada para a procuradoria jurídica da Casa. Existe uma discussão de que a Assembleia só pode investigar sobre o que pode legislar, o que não é o caso, já que trata-se de uma concessão federal. De qualquer forma, mandamos para análise dos advogados para ver se existe uma brecha. Sabemos do péssimo serviço que essa concessionária presta ao povo baiano, mas é preciso ter o respaldo legal e definir as competências de cada um”, declarou Adolfo.

O requerimento da CPI da ViaBahia foi publicado na edição de hoje do Diário Oficial do Legislativo com 39 assinaturas de parlamentares do governo e da oposição. Marcinho tem dito que trata-se de uma comissão de investigação suprapartidária.

O presidente da Assembleia também foi questionado sobre outros pedidos de CPIs, a exemplo da do Planserv, proposta por Leandro de Jesus (PL), o mesmo que aguarda uma decisão judicial para a instalação de uma outra comissão de investigação proposta por ele, a do MST, rejeitada pela procuradoria do Legislativo e, na sequência,, por Adolfo, ainda no primeiro semestre.

“Isso faz parte. Cada deputado é livre para fazer o que acha correto. A minha opinião como presidente é de analisar. Agora vocês sabem que o que se diz é que quando não se quer investigar nada se cria uma CPI. Veja o que aconteceu com a CPI da Covid no Senado, que não deu em nada, ninguém foi preso, apesar da importância desse assunto, que ceifou vidas. Mas como presidente minha obrigação é obedecer ao Regimento Interno e à maioria”, afirmou Adolfo.

“Claro que aí também tem muito do aspecto política. Sem citar nomes, a gente sabe que tem deputado que pede a CPI para garantir uma exposição maior, tirando proveito de algum tema. No caso do Planserv, por exemplo, sabemos que o serviço tem críticas, mas há outros caminhos também que podem ser adotados para melhorar o serviço”, complementou o presidente. Política Livre