Reprodução do YouTube

A provável sucessora de Jair Bolsonaro, Michelle Bolsonaro, defendeu, no ato da Paulista, que o Brasil misture religião e política – o que representaria um retrocesso à Idade Média, a uma situação anterior ao Iluminismo. “Por algum tempo fomos negligentes ao ponto de falarmos que não se poderia misturar política religião. E o mal tomou”, disse Michelle ao discursar no ato em defesa de seu marido, neste último domingo (25).  Os bolsonaristas agitam bandeiras do Brasil e de Israel no ato convocado pelo ex-ocupante do Palácio do Planalto para se defender das acusações de tentativa de golpe de Estado que a cada dia se agravam. O evento lotou a Paulista, segundo relatos. Brasil247