Reprodução: Brasil247

O PT entrou nesta quarta-feira (20), com uma representação no Conselho de Ética da Câmara para que o deputado Coronel Tadeu (PSL) responda pelo episódio em que quebrou a placa de uma exposição da Câmara que associava a polícia ao genocídio da população negra.

A exposição foi aberta na terça-feira (19), para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado nesta quarta. Na representação, o PT afirma que se trata de “ato de extrema gravidade”, que reforça as estatísticas de uma “cultura racista e de violência diária contra a população negra”.

Para o partido, a atitude de Tadeu configura crime de racismo. O deputado disse que fez o “protesto em cima do protesto deles” por considerar a imagem um “crime contra as instituições”.

Um trecho do texto que constava da placa quebrada por Tadeu dizia que “os negros são as principais vítimas da ação letal das polícias e o perfil predominante da população prisional do Brasil”.

O PT diz que houve quebra de decoro parlamentar e pede que o Conselho aplique as sanções cabíveis. Pelo Código de Ética da Câmara, as punições previstas vão de censura até a perda do mandato.

No documento ao Conselho de Ética, o PT diz ainda que “decoro, não custa reafirmar desde logo, é comportamento, é imagem pública, é honra, é dignidade. Decoro parlamentar é obrigação de conteúdo moral e ético que não se confunde com aspectos criminais, embora deles possa decorrer”.

O partido também ressalta que a conduta do Coronel Tadeu “em nada dignifica o mandato que ele titulariza e muito menos o Parlamento, que se vê constantemente envolto com ataques da espécie, que vitima a sociedade e a democracia brasileira”.

A mostra, que terá duração de um mês, está montada no túnel que liga o plenário principal da Câmara ao anexo das comissões – um espaço tradicionalmente usado para exposições. G1