Crédito: CBMBA

A queda de avião que deixou uma pessoa morta na quinta-feira (14), em São Sebastião do Passé, a 50 km de Salvador, ocorreu 17 anos depois de outro acidente com aeronave na mesma data e na mesma região. Em 14 de março de 2007, um avião carregado com R$ 5,5 milhões caiu no município de 44 mil habitantes. Na ocasião, quatro pessoas morreram.

Com relação ao acidente desta quinta-feira, a prefeitura de São Sebastião do Passé informou que o piloto estava sozinho e não resistiu a queda. Ainda não há informações sobre a identidade dele, nem as circunstâncias do acidente. A diferença entre a queda ocorrida em 2007 e a deste ano, é que o primeiro acidente mudou totalmente a rotina dos moradores: a fortuna milionária foi roubada depois da queda.

✈️ O avião era da empresa Bahia Táxi Aéreo e saiu de Petrolina, às 11h, com destino a Salvador. O piloto de 55 anos e três funcionários da empresa estavam na aeronave. 💰 O objetivo da viagem era transportar R$ 5,5 milhões para a capital baiana. O dinheiro pertencia a diversos bancos que fretavam voos para transportar grandes quantias. O avião caiu no povoado de Maracangalha, em São Sebastião do Passé. A cidade fica a apenas 50 km de Salvador, que era o destino final da viagem.

Fortuna saqueada

Após a queda, a polícia encontrou apenas R$ 500 mil dos R$ 5,5 milhões que eram levados em malotes pela empresa. Pessoas que não quiseram ser identificadas, contaram que a fortuna foi saqueada por cerca de 40 moradores de São Sebastião do Passé.

Ao longo das investigações, partes do valor foram encontradas em:

👉 um buraco feito na terra, dentro uma plantação de cana-de-açúcar;

👉 uma casa abandonada.

Além disso, cerca de seis pessoas devolveram pouco mais de R$ 500 mil para a polícia.

Segundo o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), três pessoas, entre elas um policial militar, foram condenados por extorsão após roubarem parte do dinheiro transportado no avião. O valor roubado por eles não foi detalhado pelo órgão. Em 2018, os três condenados já tinham cumprido as respectivas penas.