agencia brasil

Jair Bolsonaro afirmou que o objetivo da operação da Polícia Federal (PF), deflagrada nesta última segunda-feira (29) e que teve o vereador Carlos Bolsonaro como alvo, é “esculachar” com ele e sua família. “Querem me esculachar, me fazer passar por constrangimento”, disse Bolsonaro à coluna da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

Bolsonaro disse, ainda, que a intenção é encontrar algo que o envolva em algum crime, mas que isso “não vai acontecer”, já que ele não teria envolvimento com a “Abin (Agência Brasileira de Inteligência) paralela”, alvo de investigação pelo esquema ilegal de monitoramento de opositores e críticos do governo Bolsonaro. “Estão jogando rede, pescando em piscina. Não tem peixe”, afirmou.

Mais cedo, o advogado Fábio Wajngarten, que foi secretário de Comunicação do governo Bolsonaro, afirmou que o ex-mandatário saiu para pescar por volta das 5h50, aproveitando as condições climáticas favoráveis. Carlos e o senador Flávio Bolsonaro também estavam presentes na embarcação.

A PF chegou à residência em Angra dos Reis por volta das 7h e só teria entrado na casa às 7h30. No entanto, Bolsonaro e seus filhos estavam em alto mar, com sinal fraco de comunicação, sendo informados da operação por volta das 8h, quando retornaram à residência. A pescaria, porém, levantou suspeitas de que Bolsonaro e seus filhos tenham aproveitado a oportunidade para descartar possíveis provas em alto mar.

A ação da PF não se limitou à casa de Angra dos Reis, atingindo também o gabinete do vereador Carlos Bolsonaro e sua residência no Rio de Janeiro. Além disso, mandados foram cumpridos em Formosa (GO) e Salvador (BA). A investigação, autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), tem como objetivo avançar no “núcleo político”, identificando os principais destinatários e beneficiários das informações produzidas ilegalmente pela Abin. Brasil247