Além da já ventilada união com o PPS e o PV, a Rede Sustentabilidade deve dialogar formação de um novo partido com o Agora! e o RenovaBR para seguir no jogo. Os dois grupos são movimentos sociais que emergiram nas eleições pregando renovação na política e têm na figura do apresentador Luciano Huck uma das apostas para 2022. A fusão se tornou caminho para a legenda de Marina Silva (Rede)

 

A legenda que não ultrapassou a cláusula de barreira nas eleições deste ano e depende do movimento para continuar a ter acesso a tempo de televisão e fundo partidário para o pleito de 2020, primeiro que também não permitirá coligações. O empecilho com ares de imbróglio jurídico envolve a minirreforma eleitoral aprovada pelo Congresso Nacional no ano de 2015.

 

Nela, ficou estabelecido que os partidos precisam de, no mínimo, cinco anos de existência para poderem incorporar ou serem incorporados a outras agremiações. “Estamos conversando com os partidos que estão dispostos à união, mas ainda precisamos discutir do ponto de vista legal, pois a Rede tem alguns empecilhos”, narrou Iaraci Dias, presidente do partido Rede no estado da Bahia segundo informações do Bahia Notícias.

 

Criada por Marina Silva também em 2015, a Rede entrou com um pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar também ultrapassar a regra cujo único objetivo seria o de impedir que novas legendas fossem criadas por parlamentares que desejavam fugir da fidelidade partidária se unindo a outras.

 

Por conta da briga judicial, a Rede deve bater o martelo sobre a união em congresso que pode ser realizado até abril do próximo ano. Caso se confirme, a fusão entre os partidos e os movimentos sociais deve dar um novo direcionamento para os grupos nacionalmente e estadualmente. “A proposta é construir uma bancada nova com tudo novo e diferente. O partido que irá surgir terá uma nova posição política”, discorreu Dias.

 

FORÇA DO NOVO PARTIDO
Caso se confirme, na Bahia, o novo partido formado por Rede, PV e PPS teria na sua composição quatro vereadores eleitos em Salvador com Joceval Rodrigues (PPS), Paulo Magalhães Jr. (PV), Henrique Carballal (PV) e Sabá (PV), além da participação na gestão de ACM Neto (DEM) com André Fraga (PV) na Secretaria Cidade Sustentável.

 

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) liberou a vereadora Marcelle Moraes para sair do Partido Verde. Nacionalmente a nova agremiação saltaria para 7 senadores eleitos, se tornando a 3° maior bancada no Senado, e 13 deputados federais eleitos no Congresso Nacional a partir de 2019. Já a união com o Agora! e o RenovaBR iria aproximar o novo partido de intelectuais que fundaram os movimentos e de Luciano Huck, apresentador global que ensaia sua entrada na política pelas iniciativas.