O levantamento feito pelo Ibope de quarta (28) a sexta-feira (30), em Salvador, mostrou que a rejeição aos candidatos à prefeitura cresceu. A maioria deles teve aumento ou, no mínimo, uma oscilação negativa nesse índice.

Quem aparece pior é o deputado federal Pastor Sargento Isidório (Avante), que até tentou impedir a divulgação da pesquisa na Justiça (saiba mais aqui). Antes rejeitado por 35% dos eleitores no questionário aplicado no início do mês, ele passou a ser rejeitado por 44% das pessoas.

A situação é semelhante a do candidato do PSOL, Hilton Coelho, cuja rejeição passou de 18% para 32%, segunda pior porcentagem. Outros com rejeição significativa são Bacelar (Podemos), que passou de 20% para 28%, Cezar Leite (PRTB), que passou de 12% para 25%, Celsinho Cotrim (Pros), de 9% para 23%, e Rodrigo Pereira (PCO), de 9% para 20%.

As candidatas Olívia Santana (PCdoB) e Major Denice (PT) também registraram crescimento na rejeição, mas dentro da margem de erro de quanto pontos percentuais para mais ou para menos. Com isso, a comunista passou de 16% para 19% de rejeição enquanto a petista passou de 14% para 18%.

O único que não cresceu nesse quesito foi o vice-prefeito Bruno Reis (DEM), também o mais bem colocado nas intenções de voto (veja aqui). A rejeição dele oscilou positivamente de 11% para 10%. Outros 6% não sabem ou não opinaram sobre a questão e apenas 2% disseram que poderiam votar em todos.

Publicado na noite dessa sexta-feira (30), o levantamento encomendado pela TV Bahia foi feito com base em 602 entrevistas com eleitores da capital da baiana. O nível de confiança é de 95% e a pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) sob o número 06917/2020. (Bahia Notícias)