ec bahia

O Bahia conquistou um ponto importante contra o São Paulo, fora de casa. Mas o desempenho defensivo do Esquadrão no Morumbi, na manhã deste domingo (30), passou longe do que era esperado. O time deu muitos espaços para o adversário e contou com o brilho do goleiro Marcos Felipe para não sair de campo goleado. No final, o empate por 0x0 ficou barato. Após a partida, o técnico Renato Paiva avaliou o desempenho do time.

Para ele, o tricolor fez bom jogo e soube sofrer diante do time paulista. “Em um campo muito difícil, contra um adversário muito difícil, que mais posse de bola tem no campeonato, mais ataca no corredor central, o que indica qualidade, nós fizemos um jogo muito competente. Sabemos das diferenças, mas fizemos um jogo seguro”, iniciou ele.

“O Marcos [Felipe, goleiro] foi a grande figura, acho que foi o jogo em que um goleiro meu mais fez defesas, mas ele está lá para isso. Também já perdi pontos com grandes defesas dos adversários. O São Paulo tinha apenas um empate aqui, não gosto de valorizar empate, mas se olhar para o contexto que tínhamos e o jogo que fizemos… é verdade que o São Paulo teve mais posse, atacou mais, mas nós não fomos uma equipe encolhida. Começamos bem o jogo, depois e é normal que o São Paulo, em sua casa e com sua torcida, faça o que fez. Nós soubemos sofrer, soubemos defender e depois fomos perigosos na frente, mas faltou o gol. Portanto, é um ponto que somamos e que vai ser importante no futuro”, completou.

O treinador foi questionado sobre a postura do Bahia de tentar sair jogando desde a defesa mesmo com a marcação alta feita pelo São Paulo, que forçou o erro do tricolor. Em um dos lances, Marcos Felipe falhou no passe e David teve a chance de abrir o placar, mas chutou para fora.

“É evidente que tem o risco, mas hoje também tivemos muitas saídas de qualidade. Quer nesse jogo ou contra o Athletico-PR, todas as bolas longas que batemos nós perdemos. Aí você pode dizer ‘mas perdeu a bola longe [da defesa]’. É verdade, mas se eu conseguir, com semanas de trabalho boas, com boas decisões e movimentações, eliminar essa pressão do adversário, com uma jogada para chegar ao gol deles… É o que eu quero fazer, é a imagem do Grupo City, mas precisa trabalho”, explicou Paiva.

“Eu fiquei satisfeito com a calma que o Marcos Felipe teve com a bola nos pés, teve um erro de passe, mas acertou muito. Até uma bola longa no Ademir. Eu percebo o risco, mas não fiquem apenas na parte má, peguem também a parte boa. Eu acredito muito nesse jogo, na conquista da superioridade numérica desde o goleiro. Vamos continuar a trabalhar que isso vai dar muito mais frutos”, afirmou.

Com o empate, o Bahia não conseguiu sair da zona de rebaixamento. O Esquadrão é o 17º colocado, com 15 pontos. O time baiano está empatado com o Goiás, primeiro fora do Z4, mas o Esmeraldino leva vantagem no número de vitórias. O próximo desafio do Esquadrão no Brasileirão será no domingo (6), contra o América-MG, às 18h30, na Fonte Nova. Correio da Bahia