Foto: Reprodução/Secom

Duas empresas que prestam serviço no transporte metropolitano de Salvador anunciaram a suspensão de algumas linhas e o cumprimento de aviso prévio dos rodoviários. A situação expõe uma crise no sistema, que transporta mais de 3 milhões de pessoas mensalmente e convive com constantes reclamações de passageiros.

Em reunião com o Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Metropolitano (Sindimetro), na sexta-feira (5), a empresa Avanço Transportes, responsável pela operação de linhas metropolitanas que atendem as cidades de Madre de Deus, Candeias, Camaçari e Lauro de Freitas, informou que vai entregar as linhas no dia 14 de abril.

Veja abaixo as linhas da Avanço Transportes que, conforme o anúncio, estão previstas para deixar de operar:

  • A800 – Camaçari x Águas Claras (via BA-093)
  • A0812 – Camaçari x Simões Filho
  • A0813 – Candeias x Simões Filho
  • A814A – Camaçari x Águas Claras (via Parafuso)
  • A0834 – Madre de Deus/Candeias x Lauro de Freitas
  • A0835 – Distrito de Passé (Candeias) x Calçada
  • A0903A – Candeias x Outlet Premium (via Simões Filho)
  • 874A – Simões Filho x Lauro de Freitas
  • 811.URB – Candeias x São Francisco do Conde

2. Fim de linhas Lauro de Freitas – Salvador

Também em reunião com o Sindimetro, na sexta, a empresa Costa Verde anunciou que não prestará mais os serviços com linhas que atendem Lauro de Freitas e Salvador após 26 anos de operação a partir do dia 2 de maio.

Veja abaixo as linhas da empresa Costa Verde que, conforme o anúncio, estão previstas para deixar de operar:

  • 846 – Lauro de Freitas – Lapa (via Avenida Centenário)
  • 860 – Portão – Terminal Pituaçu (via Avenida Pinto de Aguiar)
  • 841 – Vilas do Atlântico – Campo Grande (via orla)

3. Justificativas das empresas

Para tomar a decisão pela suspensão das linhas as empresas alegam:

👉 dificuldade financeira

👉 concorrência com o transporte clandestino

👉 alto custo com pedágio e peças para manutenção de veículos

👉 falta de licitação do transporte metropolitano

4. Demissões de rodoviários

De acordo com o Sindicato dos Rodoviários Metropolitanos, 1.520 funcionários serão afetados direta e indiretamente com o fim das operações das empresas Costa Verde e Avanço. Eles já cumprem aviso prévio.

5. Tentativa de licitação em 2023 não andou

Em 2 de agosto de 2023, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) moveu uma ação civil pública contra o Governo da Bahia, Prefeitura de Salvador e a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicação do Estado da Bahia (Agerba).

No documento, as promotoras de justiça Rita Tourinho e Andréa Borges explicaram que o MP-BA buscava solucionar a questão da licitação desde 2017, quando, conforme o órgão, a Agerba já indicava a abertura de procedimento licitatório, que, até então, nunca foi realizado.

Segundo nota do MP-BA, mesmo com o ajuizamento da ação, o órgão busca solucionar a questão por meio de audiência de conciliação com os envolvidos.

6. O que diz a Agerba

A Agerba, agência responsável pos ônibus metropolitanos, disse em nota que tem conhecimento do encerramento das atividades da empresa Costa Verde e a devolução das linhas pela empresa Avanço Transportes.

Afirmou ainda que permanece em negociações com as empresas Costa Verde e Avanço e que tem adotado todas as medidas para que os passageiros não tenham prejuízo. No entanto, não detalhou as medidas.

Questionada sobre a abertura da licitação do transporte metropolitano, a agência informou que o processo está em analise e as tratativas estão sendo feitas junto ao Ministério Público da Bahia e Secretaria de Infraestrutura do Governo do Estado (Seinfra). g1