foto senado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), disse que será “equívoco grave” se o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir pela descriminalização do porte de maconha para uso pessoal. Para ele, o tema deveria ser exclusivo dos legisladores do Congresso Nacional. O julgamento foi retomado nesta última quarta-feira (2), quando o ministro Alexandre de Moraes proferiu o quarto voto a favor da descriminalização. “Houve, a partir da concepção da Lei Antidrogas, também uma opção política de se prever o crime de tráfico de drogas com a pena a ele cominada, e de prever também a criminalização do porte para uso de drogas”, afirmou Pacheco. “Ao se permitir ou ao se legalizar o porte de drogas para uso pessoal, de quem se irá comprar a droga? De um traficante de drogas, que pratica um crime gravíssimo equiparado a hediondo”, acrescentou.