A invasão do sítio prefeito de Muritiba, Danilo de Babão (PSD), na localidade de Carro Quebrado, na zona rural da cidade por volta das 23h desta segunda-feira (7), é mais um episódio de uma série de invasões em terras da região. De acordo com quem mora no local, os assaltos, como o que terminou com o gestor baleado, são comuns e acontecem, principalmente, nas áreas mais distantes da zona urbana.

Um morador, que prefere não se identificar, explica como tem sido os últimos meses na zona rural da cidade. “Se a coisa está complicada na cidade, imagine na zona rural. A criminalidade tomou conta de Muritiba. Muitas propriedades são assaltadas direto. Quanto mais afastado é, eles atuam invadindo as casas, ameaçando e tirando dinheiro do povo”, afirma.

Os responsáveis, segundo ele, seriam integrantes de facções criminosas que roubam tudo de valor das propriedades, incluindo bicicleta e até motos. As ações servem para financiar as atividades de dois grupos criminosos que estão em confronto no município. Ele, no entanto, não sabe identificar quais seriam as facções envolvidas no conflito.

Uma outra moradora, que também não diz o nome por medo de represálias, conta até que pessoas da região deixaram de morar em período integral nas fazendas por medo de acabar virando vítimas das invasões. Ela explica que o efetivo policial não dá conta da área rural de Muritiba.

“A cidade tem uma zona rural muito grande e os agentes não dão conta de tudo. Boa parte do pessoal de roças mais afastadas já abandonou essas terras na parte da noite. Vão lá durante o dia para plantar, cuidar de tudo e voltam para a cidade a noite porque não tem segurança de ficar lá”, relata ela.

Ainda de acordo com o primeiro morador, o fato de terem invadido a casa do prefeito gerou repercussão e ainda mais susto na cidade. “A coisa só piora, eles podem fazer tudo aqui. E não tem resposta nenhuma porque não temos segurança, não tem agente na rua, como é que lida com isso? Chegou ao ponto de fazerem isso até com o prefeito”, destaca ele.

Em nota, o PSD informou que acionaria a Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA) para ter prioridade na investigação do caso do prefeito. A reportagem procurou a pasta para saber se vai haver uma ação geral para os casos na região rural, mas não recebeu resposta até o fechamento desta matéria. A Polícia Militar (PM) também foi procurada para saber se vai reforçar o policiamento na área, mas também não retornou.

Investigação

A reportagem procurou o prefeito Danilo de Babão por ligações e mensagens, mas não recebeu resposta do gestor. Procurada, a Polícia Civil explicou que agentes da 4° Coorpin de Santo Antônio de Jesus trabalham em conjunto com a equipe da Delegacia Territorial de Muritiba.

Em nota, a PC citou também que a investigação se inicia apurando uma tentativa de roubo seguido de morte. “Os policiais estão realizando os levantamentos iniciais para apurar a tentativa de latrocínio sofrida pelo prefeito de Muritiba, na noite de segunda-feira”, escreve.

Na nota, a PC não revela se imagens de câmera de segurança vão ser utilizadas no processo. No entanto, ao CORREIO, o Major Messias, comandante da 27° CIPM, que atendeu a ocorrência com o prefeito, confirmou a existência de câmeras na área. Ele, no entanto, não sabe se elas registraram a ação.

“O sítio tem uma câmera de segurança que fica em frente e pode ser usada. No entanto, apesar de ter um pórtico na frente, o muro e o portão são pequenos, daqueles que são usados para fazer uma entrada mais bonita. O sítio é todo aberto, você chega por qualquer lado e os bandidos podem ter evitado passar na frente da câmera”, completa o comandante. Correio da Bahia