Foto: Divulgação

A nova Carteira de Identidade Nacional (CIN) estava prevista para ser implantada na Bahia a partir do último sábado, 1º de junho. O planejamento, porém, não se confirmou e a novidade ficará para depois em território baiano.

Procurado pelo Portal A TARDE, o Departamento de Polícia Técnica (DPT) — responsável pelo Instituto Pedro Mello, que produz o documento na Bahia — afirmou que o projeto piloto da nova CIN não foi iniciado no sábado “em decorrência de um atraso na integração do sistema de geração do QR Code da nova Carteira de Identidade Nacional, que é operacionalizado pelo Ministério da Justiça”.

Apesar disso, de acordo com o DPT, a previsão é que o início do projeto piloto de implantação da nova Carteira de Identidade Nacional deve ocorrer ainda no primeiro semestre de 2024, que se encerra no dia 30 de junho.

O projeto piloto deve ser iniciado com a emissão dos documentos para um público restrito, em dois postos instalados em Salvador, visando avaliar o fluxo de atendimento. Essa primeira etapa só poderá ser realizada através de agendamento.

Apenas depois dessa avaliação, quando o sistema estiver consolidado, a emissão da nova Carteira de Identidade Nacional deverá ser aberta para toda a população do estado da Bahia.

Um total de 23 estados brasileiros, mais o Distrito Federal, já começaram a implantação da nova Carteira de Identidade Nacional. As exceções são Amapá, Bahia e Roraima. A ideia do novo documento é unificar nacionalmente o registro das pessoas, impedindo que os brasileiros tenham um RG em cada unidade da federação. A Tarde