Vítimas de um ataque brutal supostamente promovido pela facção criminosa Bonde do Maluco (BDM), Wellington, Luís Henrique e Marcus Vinicius estavam curtindo um passeio de jet-ski, quando foram surpreendidos pelo tiroteio, que deixou os três mortos e mais duas pessoas feridas. O atentado aconteceu em Barra do Jacuípe, em Camaçari, na noite de sábado (29).

Wellington Rocha dos Santos, de 46 anos, era o mais velho do grupo e trabalhava como representante comercial. O homem estava na companhia do seu filho e do primo, Luis Henrique Santana dos Santos, de 23 anos, e Marcus Vinicius Pereira Santos de Jesus, de 19 anos, respectivamente.

Luis Henrique ostentava fotos em jet-ski e empinando moto. Ele chegou a postar fotos do jet-ski pouco antes de morrer. A paixão por motos era expressada em uma página, dedicada a manobras com o veículo.

Já Marcus Vinicius, primo das outras vítimas, era violinista e trombonista, e costumava fazer parte de eventos, onde tocava, por Salvador e no interior baiano. Marcus também fazia parte de uma congregação cristã. Os três foram mortos em um ataque a tiros supostamente promovido pela facção criminosa BDM, que se revoltou com a festa que um grupo, incluindo os familiares mortos, fazia no local.

Na véspera, uma operação havia terminado com sete suspeitos de tráfico de drogas mortos em troca de tiros com policiais militares. Os sete eram, supostamente, membros do grupo criminoso. Vendo a festa realizada na região, os criminosos teriam pensado se tratar de uma comemoração pela morte dos sete suspeitos. Com a revolta, os homens teriam promovido um tiroteio. A Polícia Civil não confirma se há relação entre os fatos, mas investiga o caso. BNews