Salvador deve receber mais de 200 mil turistas após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberar a temporada de cruzeiros, conforme aponta a Secretaria Municipal de Turismo (Secult). A temporada 2021/2022 deve começar no dia 5 de novembro e a expectativa é de que termine em março do próximo ano.

“O primeiro navio chega dia 26 [de novembro]. Nós faremos uma reunião de ajuste, entre prefeitura e governo do estado, em função da nova regulamentação do protocolo. Cada turista [gasta], em média de R$ 600 a R$ 700. É um ticket médio muito alto, que gera riqueza”, detalhou o secretário municipal de turismo Fábio mota.

Para quem trabalha na área, a liberação dos cruzeiros pode dar um fôlego para o setor que sofreu muitas perdas com a pandemia da Covid-19, como é o caso de Avaniz Perez Duran, diretora de receptivos de navios.

“É o turista querendo encontrar Salvador e nós querendo oferecer nossa cidade. [Cerca de] 54 atividades são beneficiadas com o turismo, como o comércio, os táxis, os ônibus, os ambulante”, disse.

Em setembro, a Anvisa não recomendou a liberação da temporada de cruzeiros, mas voltou atrás depois de várias conversas com órgãos do governo ligados ao turismo e à saúde. No entanto, para receber o público, os navios terão que seguir uma série de medidas de segurança:

  • Os passageiros precisam ter o comprovante de vacinação completa;
  • É obrigatório a apresentação de teste do tipo RT-PCR negativo feito até 72h ou de teste de antígeno feito até 24h antes do embarque;
  • O distanciamento mínimo entre grupos de viajantes é de um metro e meio;
  • Os cruzeiros precisam testar todos os dias 10% dos passageiros e da tripulação;
  • A lotação máxima é de 75% da capacidade do navio;
  • É preciso ter cabines para isolamento de casos suspeitos a bordo.

“A única limitação é que os navios não farão, por enquanto, escalas internacionais. Eles navegarão somente em águas brasileiras. A retomada vai acontecer naqueles portos em que o governo local elabore um plano de operacionalização”, afirmou Nélio Aquino, gerente de Portos e Aeroportos da Anvisa.
Apesar da série de protocolos definida pela Anvisa, a infectologista Fernanda Grassi alerta que o risco de contaminação nos navios ainda é muito alto.

“O Sars-Cov-2, que causa Covid, é transmitido por via respiratória. O navio é um ambiente fechado e, normalmente, assim como os aviões, deve haver um sistema especial de ventilação, de limpeza, de purificação do ar, porque existe uma circulação do ar. Então, se isso não for feito de uma maneira muito séria, o risco é muito grande”, pontou.

A última temporada de cruzeiros aconteceu entre os anos de 2019 e 2020, antes da pandemia. Na época, Salvador recebeu cerca de 165 mil turistas, o que representou 10% de aumento em relação à temporada anterior. G1