Foto: Divulgação/PMFS

Mais de um terço da população soteropolitana se autodeclara preta, conforme aponta o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2022, divulgado nesta sexta-feira (22). O número corresponde a 34,4% dos habitantes – ou seja, cerca de 825 mil de 2,4 milhões de moradores de Salvador. A cidade também concentra a menor proporção de pessoas brancas no Brasil. A maior parte dos habitantes se consideram pardos. Confira como é a distribuição em Salvador:

👉 Pardos – 49,1%

👉 Pretos – 34,1%

👉 Brancos – 16,5%

👉 Indígenas – 0,2%

👉 Amarelos – 0,1%

Com a diminuição do número de moradores na capital baiana, a população preta foi a única que cresceu na cidade entre os anos de 2010 e 2022. O grupo cresceu 11% nos 12 anos intercensitários, passando de 743.718 para 825.509 pessoas. A população indígena também se manteve em Salvador, de forma que a cidade segue como a quarta maior população indígena do país e maior da Bahia, com cerca de 27 mil habitantes autodeclarados.

Pessoas pretas na Bahia

Em 2022, a Bahia passou a integrar nove das 10 colocações do ranking de municípios brasileiros em que as pessoas pretas são predominantes. O ranking leva em consideração a população total das cidades – por isso Salvador não está na lista, já que é a capital com maior proporção de pessoas pretas. Na lista nacional, os baianos só perderam o primeiro lugar para Serrano do Maranhão, onde 58,8% das pessoas se consideram negras. Confira o ranking nacional:

👉 1º lugar: Serrano do Maranhão (MA) – 58,8%

👉 2º lugar: Antônio Cardoso (BA) – 55,1%

👉 3º lugar: Ouriçangas (BA) – 52,8%

👉 4º lugar: Cachoeira – 51,8%

👉 5º lugar: Santo Amaro – 50,9%

👉 6º lugar: Conceição de Feira – 50,3%

👉 7º lugar: São Francisco do Conde – 49,9%

👉 8º lugar: Pedrão – 49,7%

👉 9º lugar: Salinas da Margarida – 47,1%

👉 10º lugar: São Gonçalo dos Campos – 47% G1