Foto Igor Santos SECOM

O Censo de 2022, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou que a população de Salvador diminuiu 9,6% desde 2010, chegando a 2,417 milhões de habitantes. Ainda assim, quatro dos 12 subdistritos da capital cresceram em população. É o que aponta o módulo Agregados por Setores Censitário Preliminares, divulgados nesta quinta-feira (21). No topo do ranking, com crescimento de 35,1%, está o subdistrito de São Cristóvão.

Os dados não dizem respeito aos bairros, mas aos subdistritos. Para o IBGE, São Cristóvão, por exemplo, reúne sete localidades: São Cristóvão, Jardim das Margaridas, Mussurunga, Itinga, Cassange, Areia Branca e Nova Esperança. O subdistrito subiu duas posições e se tornou o 9º mais populoso de Salvador. São 136.952 habitantes.

Itapuã foi o segundo o subdistrito soteropolitano que mais cresceu (10,4%). Entre 2010 e 2022, sua população aumentou de 173.238 para 191.205 moradores. Os dois outros subdistritos de Salvador que cresceram entre 2010 e 2022 apresentaram variações e aumentos absolutos de população muito menores do que os dois primeiros: Maré, com 2,0% ( 6.565 moradores) e Valéria, com variação de 0,1% (194.611 moradores).

O subdistrito de Maré reúne as três ilhas-bairros de Salvador: ilhas de Maré, dos Frades e de Bom Jesus dos Passos. Apesar do aumento populacional, continuou um dos subdistritos menos populosos da capital, mantendo o 17º lugar entre os 22. Em 2022, os três subdistritos mais populosos de Salvador se mantiveram os mesmos de 2010: São Caetano (384.583 pessoas), Pirajá (358.657) e Amaralina (254.133). Correio da Bahia