Foto: Pedro França/Agência Senado

O líder do governo no Senado Federal, Jaques Wagner (PT), afirmou que existem problemas muito mais graves além da “saidinha” temporária de presos durante datas comemorativas. O projeto de lei, aprovado no Congresso Nacional, irá para sanção do presidente Lula (PT). “É uma leitura simplista, como se prender muita gente ou não dar direito à ‘saidinha’ fosse resolver algo. Está tudo de cabeça para baixo. O país é conduzido por clichês. Caiu um avião e ninguém mais vai andar de avião? Sai um na ‘saidinha’, e mata alguém, ninguém mais tem direito à ‘saidinha’? Que maluco, a abordagem não deveria ser essa”, declarou, em entrevista ao jornal Correio Braziliense. Ainda segundo o ex-governador da Bahia, “no Brasil, se prende muito, mas se prende mal”. “Não tem muita gente chique presa, seja do narcotráfico ou de outra área”, ressaltou. Wagner já disse ser contrário a um possível veto do presidente Lula ao PL da Saidinha aprovado no último dia 20 de março, na Câmara dos Deputados. A Lei de Execução Penal atual também permite a saída temporária por até sete dias em quatro vezes durante o ano para visita à família ou participação em atividades que ajudem no retorno ao convívio social. BNews