O futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse lamentar ter sido o autor da condenação do ex-presidente Lula da Silva (PT). “Nenhum juiz tem prazer em prender alguém isso faz parte do trabalho“, afirmou o ex-magistrado. “Acho até lamentável que eu tenha sido o autor de uma decisão que condenou uma figura pública que fez coisas boas na sua gestão, mas também fez coisas erradas“, disse.

 

A declaração foi feita nesta última quinta-feira (13), em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, do Brasil Urgente, da TV Band. O ex-presidente está preso desde 7 de abril deste ano. Cumpre pena de 12 anos e 1 mês imposta pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá.

 

A pena do TRF endureceu a decisão de Moro, que condenou o petista a 9 anos e 6 meses de prisão em 2017. Moro afirmou ter atuado de forma “impessoal” nos julgamentos da Lava Jato. Disse existir uma “estratégia de álibi de defesa”, responsável por criar uma “fantasia de perseguição política” ao PT. O ex-juiz ressaltou que há “agentes políticos do PP, do PTB, do PMDB” envolvidos na Lava Jato e citou Eduardo Cunha condenado na Lava Jato.

 

Segundo o paranaense, não há muitos opositores ao PT condenados no âmbito da operação porque “não comandavam a Petrobras” à época. A entrevista teve tom de conversa entre amigos, com vários elogios de Datena ao futuro ministro. O apresentou se referiu a Moro como um homem “corajoso” e que “não vive um personagem”. Informações do Poder360