reprodução

No sábado (1º), senador Sergio Moro (União Brasil-PR), criticou a fala do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), de que o plano descoberto pela Polícia Federal de um atentado da facção criminosa PCC contra ele e outras autoridades teria sido uma “armação”. 

“Nós temos toda uma preocupação de informação, fake news, discurso de ódio, e tivemos um mau exemplo do nosso mandatário maior, do presidente da república, nas últimas duas semanas”, disse o ministro do governo Jair Bolsonaro ao jornal Folha de SP. 

Mor ainda disse que vai aderir a uma CPMI do crime organizado para “supervisionar as políticas públicas de segurança do governo federal”. 

“O que todos esses eventos revelam é que a gente tem que lutar contra o crime organizado, por isso apresentei um projeto de lei para fortalecer a proteção aos agentes de lei e também criminalizar o planejamento de atentados contra os agentes de lei”, afirmou. 

O senador ainda foi questionado sobre o retorno do ex-presidente nesta semana ao Brasil, mas não quis comentar. “Sobre Bolsonaro, não. Vou falar sobre a conferência.”