O número de internações de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em 2021 já supera o total do ano passado. O dado de 2021 já é 17% maior do que o registrado em todo o ano de 2020.

Segundo dados obtidos na plataforma Sivep-Gripe (Sistema de Informação de Vigilância da Gripe), do Ministério da Saúde, e compilados pelo Info Tracker (plataforma criada pela USP e Unesp para monitorar a pandemia), 89.826 crianças foram internadas com quadros respiratórios entre janeiro e agosto deste ano, contra 76.975 em 2020 (de janeiro a dezembro).

A SRAG pode ser causada por vários vírus respiratórios, incluindo a Covid-19. Se dividir por faixa etária, as crianças de 0 a 4 anos foram as mais afetadas, com um aumento de 35% entre um ano e outro. Em todo 2020, foram registradas 40.172, contra 54.342 até agosto deste ano.

Entre 5 e 9 anos, o aumento foi de 1%: 23.840 contra 24.089. Já na faixa dos 10 aos 14 anos, houve queda de 10%: 12.650 (em 2020) e 11.395 (em 2021). O número de óbitos em 2020 ainda é maior que em 2021. No ano passado, de janeiro a dezembro, 2.397 crianças de 0 a 14 anos morreram por SRAG. Em 2021, foram 1.656 registros.

Vacinação de crianças e adolescentes

Crianças de 0 a 11 anos ainda não podem receber as vacinas contra a Covid-19. Em junho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso da vacina da Pfizer para adolescentes a partir dos 12 anos. Em setembro, após um vai e vem, o Ministério da Saúde voltou a liberar a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos, mesmo os sem comorbidades, contra a Covid-19. G1