Crédito: Divulgação

O Sistema de Reconhecimento Facial da Secretaria da Segurança Pública (SSP) da Bahia alcançou 1.500 foragidos da Justiça na Bahia. Mais de 80% dos localizados com o auxílio do Sistema eram procurados por homicídio, latrocínio, estupro e tráfico de entorpecentes. A última prisão aconteceu no domingo (7), na capital baiana.

A ferramenta é utilizada desde dezembro de 2018. Em 2021, o Reconhecimento Facial foi expandido para outros 77 municípios. Neste domingo, utilizando a ferramenta, a Polícia Civil realizou a prisão de dois procurados por dívida de pensão alimentícia e um homem com mandado de prisão por prática de roubo.

Além de Salvador, as 1.500 prisões também aconteceram nas cidades de Camaçari, Lauro de Freitas, Pojuca, Simões Filho, Itaparica, Dias D’Ávila, Porto Seguro, Eunápolis, Vitória da Conquista, Itaberaba, Feira de Santana, Santo Estevão, Jequié, Seabra, Mucugê, Vera Cruz, Ibotirama, Capim Grosso, Senhor do Bonfim, Itabuna, Valença, Barreiras, Teixeira de Freitas, Jaguaquara, Irecê, Serrinha, Itamaraju, Nova Fátima e Ilhéus.

Procurados por prática de roubo ou furto, associação e organização criminosa, porte ilegal de arma de fogo, violência contra mulher e até dívida de pensão alimentícia completam a lista dos presos. Correio da Bahia