Dois homens morreram após confrontos em uma operação conjunta das polícias Federal, Militar e Civil na segunda-feira (4), no bairro de Valéria, em Salvador. Segundo a Polícia Civil, um deles, identificado como Pablo Ricardo de Assis Gomes Oliveira, o “Pablo Escobar”, é considerado como o maior chefe do tráfico de drogas na região.

A Secretaria da Educação de Salvador (Smed) informou que, diante da sensação de insegurança no bairro de Valéria, causada pela operação, 1.044 alunos das escolas municipais São Francisco de Assis e Nossa Senhora Aparecida estão com as atividades suspensas. Já as aulas da Rede Estadual de Ensino aconteceram normalmente.

Também por causa da sensação de insegurança, os rodoviários do transporte público de Salvador deixaram de circular até Nova Brasília de Valéria, onde está localizado o fim de linha do bairro. Na tarde desta segunda-feira, a circulação foi retomada apenas no bairro de Valéria. Em Nova Brasília, os moradores seguem sem o transporte.

Segundo informações da polícia, “Pablo Escobar” tinha dois mandados de prisão em aberto, por tráfico de drogas, associação para o tráfico e organização criminosa. Ele estava escondido na mata e entrou em confronto com os policiais quando foi atingido, socorrido e levado a uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos.

O suspeito era conhecido por oprimir e ameaçar moradores do bairro. Ele integrava o “Baralho do Crime”, da Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), um catálogo que reúne informações dos foragidos mais perigosos do estado.

Nas primeiras horas da operação, Carlos Alessandro Santana Santos, o “Cachinho”, também suspeito de integrar o grupo criminoso, foi morto durante um confronto com o policiais. Ele também tinha mandados de prisão em aberto por tráfico de drogas, associação para o tráfico e por integrar organização criminosa.

Ainda durante a operação, um homem, que não teve a identidade revelada, foi preso com seis granadas e drogas. Segundo a Polícia Civil, dois fuzis, rádios comunicadores, balanças de precisão e porções fracionadas de maconha, cocaína, crack, munições, sete celulares, além de dois carros com restrição de roubo foram apreendidos. Além disso, três acampamentos foram desarticulados.

De acordo com a polícia, o objetivo das ações é o cumprimento de mandados judiciais contra integrantes de grupos criminosos envolvidos no confronto que resultou na morte do policial federal Lucas Caribé, e do ferimento grave a um policial civil, em setembro do ano passado.

Na sexta-feira (1°), um homem suspeito de planejar a invasão de setembro morreu em um confronto com policiais civis, na cidade de Dias D’Ávila, na Região Metropolitana de Salvador. Jailson Almeida dos Santos, conhecido como “Seco”, era chefe de uma organização criminosa com forte atuação no tráfico de drogas e homicídios, do bairro de Periperi, no subúrbio de Salvador.

Participam da “Operação Responsio” os Departamentos de Repressão e Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (Draco), de Inteligência Policial (DIP), de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a Coordenação de Operações e Recursos Especiais (Core), a Superintendência de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública (SI-SSP), a Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (Ficco), Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal (GPI-PF) e o Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer-PM). G1