prf

A Bahia voltou a fazer transplante de coração após dois anos. Uma paciente de 49 anos, natural de São Felipe, que aguardava há uma semana na fila por um transplante, recebeu um novo coração e uma nova chance de continuar vivendo, na quarta-feira (4).

Segundo a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), o transplante foi realizado no Hospital Ana Nery, em Salvador, e foi viabilizado graças a doação realizada por familiares de um paciente de 29 anos, vítima de Traumatismo Crânio Encefálico (TCE), que estava internado no Hospital Clériston Andrade, em Feira de Santana.

Para o transporte do órgão doado, a equipe do Hospital Clériston Andrade contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que realizou a escolta da ambulância que levava o coração até o Hospital Ana Nery, onde o transplante pode ser realizado em tempo hábil.

A Sesab informou que todo o procedimento precisa acontecer em quatro horas, tempo máximo que o coração pode ficar armazenado. “A cirurgia durou cerca de cinco horas e foi um sucesso. A paciente passa muito bem”, explicou o médico Filinto Marques, membro da equipe do Ana Nery. A paciente transplantada foi acompanhada pelo Ambulatório de Insuficiência Cardíaca do Ana Nery, onde realizou uma série de exames para, assim, se tornar apta para a cirurgia.

De acordo com a Sesab, nos últimos anos, o Governo da Bahia investiu mais de R$ 9,2 milhões em incentivo financeiro para instituições filantrópicas e privadas que realizam transplantes, além de campanhas de sensibilização da sociedade e treinamentos para a preparação de profissionais de saúde.

O último procedimento realizado no estado aconteceu em 18 de janeiro de 2022, quando a vida de Karen Alessandra Arantes mudou. Durante o período em que a Bahia ficou sem realizar o transplante cardíaco, as pessoas que precisaram da cirurgia tinham acesso através do Tratamento Fora do Domicílio (TFD). G1