O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) julgou procedente o pedido de desfiliação de Léo Prates do DEM. A Justiça eleitoral aceitou o argumento de que o secretário municipal de saúde e aliado de ACM Neto (DEM) foi retaliado dentro do Democratas por aliados como o ex-presidente municipal Heraldo Rocha (DEM) e o deputado estadual Sandro Régis (DEM). Com a saída do DEM autorizada pela Justiça, Leo deve continuar com as tratativas para se filiar ao PDT. O movimento deve servir para trazer o partido para da base do governador Rui Costa para a base do prefeito ACM Neto na capital baiana. Prates é ventilado como candidato a prefeito ou vice-prefeito pela legenda de Ciro Gomes (PDT). A carta de anuência dada pelo presidente estadual do DEM, Paulo Azi, também foi aceita pela Justiça. O pedido da Justiça ocorreu para que Leo, deputado estadual licenciado, não perdesse o mandato por falta de fidelidade partidária. No Brasil, os mandatos de deputado pertencem ao partido e não ao mandatário. Bahia Notícias