O Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM) derrubou a medida cautelar que suspendia as contratações dos shows de Léo Santana e Saia Rodada para a 25ª Festa de Santo Antônio, na cidade de Jaborandi, oeste do estado.

A decisão foi emitida na sexta-feira (14), mas só foi divulgada pelo TCM nesta quarta (19). Com a mudança, os artistas vão se apresentar no dia 18 de junho.

Durante a sessão, os advogados do município de Jaborandi, Fernando Vaz Costa Neto e Antônio Magalhães Lisboa, disseram que os números apresentados pela 25ª Inspetoria Regional de Controle Externo do TCM, estariam superados.

Segundo os advogados, a receita de Jaborandi seria da ordem de R$ 136 milhões, mais que o dobro dos R$ 64 milhões de 2021. Portanto, os valores dos contratos representam algo em torno de 5% da receita mensal, e não 14% como foi alegado anteriormente.

A argumentação foi acolhida pelos conselheiros Nelson Pellegrino e Mário Negromonte. Segundo Nelson, o município tem boa saúde financeira, paga o piso legal de remuneração aos professores, não tem dívidas em atraso e tem previsão orçamentária de mais de R$ 2 milhões para gastos com festas e eventos culturais.

Ele afirmou ainda que o TCM não tem porquê julgar um ato que faz parte do poder do prefeito. Os advogados alegaram também que os valores pagos ao artista Léo Santana e ao grupo Saia Rodada são os preços de mercado e semelhantes aos pagos como cachê por outros municípios baianos e de outros estados.

Após a suspensão da medida cautelar relacionada, os conselheiros analisaram também a medida cautelar ligada à contratação de artistas para o São João da cidade, que também foi suspensa.

Portanto, segundo o TCM, estão também em vigor os contratos com a banda “Fulô de Mandacaru”, por R$100 mil; com a dupla de cantores Gian e Giovani, por R$170 mil e com o cantor Tierry, no valor de R$ 200 mil. G1