O Documento Nacional de Identidade estará disponível para toda a população brasileira a partir de fevereiro do ano que vem, informou nesta última terça-feira (8) o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com isso, informações de dados pessoais, como título de eleitor e CPF, serão reunidos em forma digital em um único documento. O prazo anunciado pelo TSE faz parte do cronograma de implementação do documento, criado por uma lei de 2017. Pelo cronograma, a partir de março deste ano, o aplicativo estará disponível, para fins de teste, a servidores públicos. Em agosto, moradores de Minas Gerais também poderão usar o aplicativo. Até o fim deste ano, outros estados também poderão aderir. O sistema digital é uma parceria entre o TSE, que tem uma base de dados de mais de 120 milhões de pessoas, e o Ministério da Economia.