Agência Brasil

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) teve em sua pauta na terça-feira (17) a analise de duas ações para investigar eventuais irregularidades na chapa forma pelo presidente Lula (PT) e o vice Geraldo Alckmin (PSB) na eleição presidencial do ano passado. No entanto, os ministros da Corte Eleitoral devem avaliar as ações depois de encerrar a avaliação dos três processos contra o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), também investigado por irregularidades na eleição de 2022. Além disso, o presidente do TSE, Alexandre de Moraes, reservou o dia 19 de outubro, próxima quinta-feira, para analisar as ações contra Lula e Alckmin. A dupla é investigada por um eventual abuso de poder econômico, por um uso irregular no uso de anúncios em ferramenta de busca, e uso indevido dos meios de comunicação, em entrevistas dadas por Lula para se promover no dia do primeiro turno. A Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE) já deu parecer sobre as ações, que é a de rejeitá-las. Caso eles sejam condenados, Lula e Alckmin podem perder os seus mandatos. O ministro Benedito Gonçalves é o relator dos dois casos.