© Will Shutter/Câmara dos Deputados

Uma pesquisa da Genial/Quaest mostra que 21% dos brasileiros tem receio que discussões políticas no seio de suas famílias atrapalhem a celebração de Natal, mesmo um ano depois da eleição. 10% dizem que diferenças políticas foram importantes para que decidissem não se reunir com familiares nas festas natalinas. E 9% afirmam conhecer alguém da família que simplesmente não vai aos encontros de Natal por questões ou brigas políticas. O receio de discussões familiares é maior entre os mais jovens. Entre os que têm de 16 a 34 anos, 23% têm medo que as reuniões terminem em briga, contra 20% de quem tem entre 35 e 59 anos e 18% entre os mais velhos. Há diferenças significativas também entre as regiões, no Nordeste, 16% têm medo das brigas por questões políticas, contra 23% no Sudeste, 20% no Sul e 23% no Centro-Oeste. Não há diferença significativa entre pessoas de renda familiar diferente, nem entre católicos e evangélicos. O percentual dos que têm receio de discussões familiares ligadas a política no Natal também é parecido entre os eleitores de Lula (20%) e os de Jair Bolsonaro (22%).