Mais de um ano após o anúncio da instalação de câmeras nos uniformes dos policiais militares da Bahia, o projeto não tem previsão de sair do papel. Os trâmites iniciados em 2021 encontram-se emperrados, com três fases internas pendentes até o lançamento da licitação.

Entre agosto e outubro de 2021, a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) fez testes, audiência pública e reunião com empresas para tratar do tema. Mas nada foi anunciado até a Defensoria Pública da Bahia (DPE-BA) cobrar atualizações, após a morte de três jovens na Gamboa em março do ano passado.

Logo, o ex-governador e hoje ministro da Casa Civil Rui Costa (PT) prometeu levar a medida para a frente ainda em 2022. Desde então, o processo encontra-se empacado. Segundo a SSP, a proposta está, neste momento, em análise na Secretaria de Administração (Saeb). Depois, passará pela Secretaria da Fazenda (Sefaz) e pela Procuradoria Geral do Estado (PGE). A resposta foi a mesma dada ao Metro1 há pouco mais de um ano.

Diante disso, o vereador Silvio Humberto (PSB) questionou a demora na implantação dos dispositivos nos uniformes. Segundo ele, a iniciativa é importante tanto para garantir a segurança da corporação e da população quanto para combater o racismo no estado.

“É comprovado que é eficiente. Então por que está demorando?”, indagou, em entrevista recente ao MetroPod.

Neste ano, a promessa da instalação das câmeras foi mantida pelo atual governador Jerônimo Rodrigues (PT) e reforçada pelo secretário da SSP-BA Marcelo Werner. “Se não for nesse governo [de Jerônimo Rodrigues (PT)], não sei quando será”, pontuou Silvio Humberto.

Apesar de não estabelecer qualquer previsão, a SSP afirmou, em nota enviada ao Metro1, que “o processo está seguindo o trâmite normal de compras com dinheiro público”. Já a Saeb foi contatada, mas ainda não respondeu as perguntas da reportagem.  Metro1