Foto: Natanael Alves/PL

Parlamentares do Partido Liberal defenderam o presidente da sigla, Valdemar Costa Neto, após o dirigente partidário ser alvo de críticas nas redes sociais por ter elogiado os governos anteriores do presidente Lula (PT) e a indicação de Ricardo Lewandowski para o Ministério da Justiça.

Eles foram são unânimes em defender Valdemar, que na opinião deles é um líder político prestigiado e que não abandonou o bolsonarismo. “O Valdemar Costa Neto é um dos dirigentes partidários com maior credibilidade e postura partidária que eu conheço. Meu desagravo a ele”, disse o senador Eduardo Gomes (PL-TO), que foi líder do Congresso no governo Jair Bolsonaro (PL).

“Você precisa entender que não é bom radicalizar nestes momentos. O Brasil vive uma disputa polarizada e, por isso, a composição do governo tem várias configurações. Em determinado momento, até os partidos de oposição dão apoio ao governo. No caso do Valdemar nem isso tem.”

Gomes disse ainda que Lewandowski tem uma “carreira consagrada”, mas preferiu não manifestar apoio ou contrariedade à escolha de Lula para a sucessão de Flávio Dino. “A escolha de ministro de Estado é prerrogativa do presidente da República, e a nomeação dele é a Presidência sendo respeitada”, concluiu.

O deputado Sóstenes Cavalcante (PL-SP), 2º vice-presidente da Câmara dos Deputados, disse que Valdemar já se explicou sobre os elogios ao governo petista diante “desses ataques”. “Eu retuitei e compartilhei o esclarecimento dele”, afirmou. O parlamentar ainda disse que a escolha de Lewandowski é uma decisão de Lula. “Nós, da oposição, temos que aguardar a posse e fiscalizar o trabalho. Nada mais.”

Ex-presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública, o deputado Capitão Augusto (PL-SP) avalia que o ministro aposentado do STF (Supremo Tribunal Federal) já demonstrou posição contrária ao endurecimento do Código Penal.

“Ele sempre pregou contra o encarceramento, achando que isso não é a solução. E nós, da bancada da bala, sabemos que a questão da segurança é complexa, mas você tem as soluções de curto, médio e longo prazo. No curto prazo, a única forma é endurecer a legislação penal para o marginal sentir o peso da mão da Justiça”, defendeu Augusto.