EC Vitória

Desconhecido para boa parte dos torcedores do Vitória, Fabiano Soares terá a missão de conquistar a nação rubro-negra. Para conseguir isso, ele precisará reabilitar o Leão na Série C do Brasileiro e comemorar o acesso ao final da competição. “Eu tenho uma proposta de jogo bastante clara. Eu vou demonstrar com meu trabalho que a coisa vai funcionar e as críticas vão mudar”, garantiu o novo técnico, apresentado na tarde desta terça-feira (26).

Terceiro treinador a comandar o Vitória na temporada, ele assume o posto de Geninho, demitido no último dia 20, após a derrota por 3×0 para o Fortaleza, no jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil. Antes, Dado Cavalcanti havia iniciado o trabalho. Fabiano disse não temer a instabilidade do cargo na Toca.

“Não tenho medo. A bola pode não entrar, mas eu tenho certeza que a bola vai entrar. Eu estou feliz. Quando alguma equipe vier jogar aqui, vai ser complicado ganhar algum jogo aqui. Vamos ter as ideias claras e a forma de jogar. Estou seguro que vamos começar a ganhar a partir de sábado”, projetou Fabiano Soares.

A estreia dele será contra o Manaus, sábado (30), às 19h, no Barradão, em jogo válido pela 4ª rodada da Série C do Brasileiro. O Vitória perdeu os três primeiros jogos que disputou na competição, contra Remo (2×1), Floresta (1×0) e Ypiranga-RS (2×1). Ainda sem pontuar, o Leão amarga a zona de rebaixamento, na 18ª posição.

“Difícil falar do que não deu certo, eu não estava aqui. Eu só acho que tem que ter um roteiro de início, com ideias muito claras, ter uma equipe que jogue a cada vitória, sempre proativa, mandando no jogo, obrigando o adversário a rifar a bola. Somos a equipe grande”, pontuou o novo técnico.

Fabiano Soares tem 55 anos, é carioca e foi volante revelado pelo Botafogo. Como atleta, fez carreira em times modestos da Espanha, país onde  iniciou a trajetória como treinador em 2008. Trabalhou no Bergantinos, no Compostela e no Estradense. Depois, após um período como auxiliar técnico, voltou à função de treinador em 2015, no Estoril, de Portugal.

A primeira oportunidade no Brasil foi no Athletico-PR, em 2017, mas acabou demitido com a marca de ter o pior aproveitamento entre os técnicos que haviam comandado o Furacão naquela década – 42,8%, fruto de 10 vitórias, 6 empates e 12 derrotas. De volta ao exterior, assumiu o Jeonnam Dragons, da Coreia do Sul, em 2019.

“Eu tinha muita vontade de voltar para um time grande no Brasil. É uma honra e me preparei para isso. Recebi a chamada e estou preparado. Era impossível falar que não. Estou muito feliz. Não vou prometer nada, mas sim trabalhar 24h por dia para essa dinâmica mudar e trazer o torcedor de volta ao estádio”, disse Fabiano.

“Não vou pedir nada a nossa torcida, pois sei que nós é que temos que oferecer. Vamos jogar com a cara do Vitória, pois sempre que eu vim jogar aqui era complicado. Vamos pouco a pouco reverter e trazer vitórias para que os torcedores voltem com alegria ao nosso estádio”, completou o técnico, que comandou o primeiro treino esta tarde e terá mais três atividades até o jogo contra o Manaus.

Fabiano trabalhou em um clube brasileiro no ano passado, o Barra, de Santa Catarina. Ficou dois meses, de abril a junho, e comandou a pré-temporada para a segunda divisão do Campeonato Catarinense, mas acabou demitido duas semanas antes da estreia.

“Me pediram para organizar e introduzir o modelo de jogo. Eu fui, contratei, implementei e chegou um momento que teve um conflito lá. Eu preferi não começar o campeonato e ir embora, mas o modelo de jogo estava formado e, ao final, eles subiram. Foi decisão minha. Eu preferi não estar em um lugar em que, ao início da competição, eu tive uma divergência com uma pessoa”, contou o técnico.

No Vitória, Fabiano Soares terá o apoio de Ricardo Amadeu, que deixa a coordenação da base para voltar a ser auxiliar técnico fixo do time profissional. Felipe Lannoy assume o cargo que era dele. Correio da Bahia