Foto: Reprodução/TV Bahia

São conflitantes os depoimentos da mulher de 27 anos que se jogou do quinto andar de um prédio, em um condomínio de luxo, em Salvador, e do namorado suspeito de agressão. As versões dadas por eles à polícia citam uma tentativa de fuga de agressão por causa de gravidez e um ataque de ciúmes. O caso aconteceu na tarde de domingo (9), a vítima foi socorrida por equipes do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e levada para o Hospital Geral do Estado (HGE).

Segundo uma fonte que acompanhou o resgate, a vítima caiu em cima de um elevado de madeira, que amorteceu a queda. Ensanguentada, ela foi atendida consciente e reclamava de dores no corpo. Ela recebeu alta hospitalar pouco mais de 24 horas após a queda. O caso é tratado pela Polícia Civil como lesão corporal dolosa. Ela teve fraturas múltiplas no corpo e um corte de 1,7 cm em uma articulação que fica na pelve.

O namorado dela, identificado como Igor Costa Campos, de 39 anos, foi preso em flagrante. Nesta terça-feira (11), ele teve a prisão em flagrante convertida para preventiva. “Meu cliente diz que não agrediu a vítima em momento algum, pelo contrário, disse que tentou evitar que a vítima se jogasse no quinto andar, que ela antes disso teve uma discussão com ele e que se trancou no quarto”, contou o advogado de defesa, Carlos Magnavita.

As informações estão no processo o qual a TV Bahia teve acesso. Os dois teriam se conhecido há cerca de um mês, quando a mulher saiu de Maceió, em Alagoas, para trabalhar em Salvador. Eles se relacionaram nesse período até que, no domingo, o homem teria iniciado as agressões no apartamento. Igor Campos teria até prendido a vítima antes que ela conseguisse fugir, pulando do prédio.

Veja abaixo a versão apresentada pela mulher:

👉 Conheceu Igor Costa Campos há cerca de um mês, começaram a morar juntos e tinham muitas brigas;

👉 O motivo das brigas era que o namorado tinha ciúmes da vítima e dizia que ela havia ficado com conhecidos dele;

👉 Nunca tinha ocorrido agressões físicas antes do dia queda;

👉 Descobriu que estava grávida no final de maio e que Igor Costa Campos pediu para que ela fizesse um exame de DNA;

👉 No dia 6 de junho, viajou para Maceió, onde ela morava antes de ir se mudar para Salvador. Ligou por videochamada e viu que o companheiro estava com dois meninos e duas meninas;

👉 Ficou nervosa por achar que tinha sido traída;

👉 Retornou para Salvador no dia 7 de junho e teve alguns escapes de sangramento enquanto viajava de ônibus;

👉 Igor Costa foi buscá-la na rodoviária de Salvador e os dois discutiram quando chegaram no apartamento, mas não houve agressões físicas;

👉 No dia 8 de junho, não houve brigas. Eles beberam e passaram a noite acordados;

👉 Na manhã do dia da queda, ela saiu com o companheiro para Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, e, ao retornarem, a vítima foi dormir, mas Igor Costa Campos começou a questioná-la se ela havia ficado com algum conhecido dele;

👉 Ela negou relacionamento com conhecidos dele e passou a ser agredida com murros no rosto, puxões de cabelo e chutes.

👉 Gritou por ajuda, mas ninguém parecia ouvir;

👉 Ele teria xingado ela de “pu**”, “nojenta”, “falsa” e dizia: “seu lixo, você merece isso, sua vaga*****”;

👉 Quando Igor parou de agredi-la, ela se trancou no quarto e ele tentou invadir o cômodo. Nesse momento, o suspeito falou: “isso que você merece, sua pu**, vagabunda, acha que vai me enganar?”;

👉 Ele havia usado drogas e bebida;

👉 Viu o rosto de Igor pela porta e pensou que ele tivesse conseguido abrir;

👉 Em ato de desespero, para não ser mais agredida, se jogou da janela do apartamento;

👉 Após se jogar, ouviu Igor gritando, transtornado, depois que ela se jogou;

👉 O namorado tem uma arma de fogo e ela foi ameaçada. G1