gov ba

A Executiva nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) confirmou nesta segunda-feira, 13, mais 31 pré-candidaturas ou apoios para as eleições municipais. Da lista, dois pré-candidatos que serão apoiados pela sigla em outubro são do União Brasil e outros dois, do MDB. As duas legendas comandam ministérios do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Outros 27 pré-candidatos são do próprio partido. A maioria dos pré-candidatos está concentrada na Grande São Paulo, com 13 nomes. Apenas um pré-candidato da lista concorrerá ao comando de uma capital e receberá apoio da legenda.

O vereador Rafael Ribeiro (União Brasil), atual presidente da Câmara Municipal de Parauapebas, no Pará, concorrerá à prefeitura com apoio do PT. O outro pré-candidato do União é José Mendes de Souza Neto, conhecido como Neto Bota, de Caraguatatuba, no litoral paulista. Pré-candidato a deputado estadual em 2022, foi o mais votado de seu município, com quase 19 mil votos, mas não se elegeu. O União Brasil faz parte da base do governo Lula e chefia três ministérios: Turismo, Comunicações e Desenvolvimento Regional.

O vice-governador da Bahia, Geraldo Júnior (MDB), terá apoio do PT na disputa à prefeitura de Salvador. Ele é aliado do petista Jerônimo Rodrigues, que está à frente do Executivo estadual. Em Santarém, no Pará, o ex-deputado estadual Zé Maria Tapajós, recém filiado ao MDB, disputará a prefeitura também em aliança com o PT. Ele atuava como secretário regional de Governo do Baixo Amazonas na gestão de Helder Barbalho (MDB), mas foi exonerado para se dedicar à pré-campanha. O MDB também faz parte do governo e comanda três pastas: Planejamento, Cidades e Transportes.

Segundo as regras do Partido dos Trabalhadores, para coligações em municípios com mais de 100 mil habitantes é necessária a homologação da direção nacional da sigla. No último dia 5, o PT já havia reconhecido as decisões dos diretórios locais em 64 municípios com essa faixa de população. Se o pré-candidato for de uma legenda que não é integrante da federação partidária ou que está fora do campo da centro-esquerda, deve se comprometer a apoiar a candidatura do PT para a presidência em 2026, além de ter dois terços de apoio do diretório municipal petista.

A decisão sobre Curitiba ainda está pendente e deve ser tomada na semana que vem. Como mostrou a Coluna do Estadão, a cúpula do PT está prestes a fechar acordo com o PSB para apoiar a candidatura do deputado Luciano Ducci a prefeito da capital paranaense. Embora uma ala do PT insista em lançar um nome de suas próprias fileiras na disputa, a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, tem maioria na Executiva Nacional para aprovar o aval a Ducci.

Pré-candidaturas homologadas pelo PT nesta segunda-feira

  • Isac Carvalho (PT) – Juazeiro (BA)
  • Geraldo Júnior (MDB) – Salvador (BA)
  • Carlos Casteglione (PT) – Cachoeiro de Itapemirim (ES)
  • Vicente Mendonça (PT) – Ribeirão das Neves (MG)
  • Tarcirlei De Brito (PT) – Teófilo Otoni (MG)
  • Professora Leliane (PT) – Várzea Grande (MT)
  • Rafael Ribeiro (União Brasil) – Parauapebas (PA)
  • Zé Maria Tapajós (MDB) – Santarém (PA)
  • Professora Liliam (PT) – Cascavel (PR)
  • Dr Antenor (PT) – Guarapuava (PR)
  • Isabel Diniz (PT) – Londrina (PR)
  • Tuninho Da Padaria (PT) – Nova Iguaçu (RJ)
  • João Pedro Schmidt (PT) – Santa Cruz Do Sul (RS)
  • Marisa Zanoni (PT) – Balneário Camboriú (SC)
  • Ana Paula Lima (Pt) – Blumenau (SC)
  • Arlindo Rocha (PT) – Criciúma (SC)
  • Claudia Bratti (PT) – Lages (SC)
  • Pedro Tourinho (PT) – Campinas (SP)
  • Neto Bota (União Brasil) – Caraguatatuba (SP)
  • Sérgio Ribeiro (PT) – Carapicuíba (SP)
  • Beth Sahão (PT) – Catanduva (SP)
  • José Filippi (PT) – Diadema (SP)
  • Fabiano (PT) – Itaquaquecetuba (SP)
  • Luiz Mitsunaga (PT) – Limeira (SP)
  • Marcelo Oliveira (PT) – Mauá (SP)
  • Rodrigo Valverde (PT) – Mogi Das Cruzes (SP)
  • Emídio De Sousa (PT) – Osasco (SP)
  • Herivelto Vela (PT) – Pindamonhangaba (SP)
  • Professora Bebel (PT) – Piracicaba (SP)
  • Willian Souza (PT) – Sumaré (SP)
  • Paulo Ribeiro (PT) – Taubaté (SP)

(Política Livre)