Foto: Felipe Oliveira | EC Bahia

O Bahia teve uma temporada de altos e baixos em 2023 e lutou até a última rodada para permanecer na Série A do Campeonato Brasileiro. E um dos jogadores que simbolizam bem essa oscilação da equipe é o zagueiro Vitor Hugo, titular absoluto no Tricolor.

Desde quando foi contratado pelo Bahia, em abril deste ano, o defensor logo ganhou a oportunidade na equipe titular e a confiança de Renato Paiva e, posteriormente, Rogério Ceni. Mas o zagueiro oscilou em campo e precisou lidar com a desconfiança. Vitor Hugo lembra que o início dele pelo tricolor também foi difícil em razão do falecimento da mãe, logo na chegada ao clube.

– Não estava muito bem quando comecei aqui. Tive poucas falhas individuais. Mas teve toda uma situação, perda da minha mãe que me abalou muito. Não posso me apoiar só nisso como se tivesse dado desculpas. Alguns lances que eu fui equivocado, poderia ter controlado e ter tirado a bola. É na vontade de ajudar. Depois dessa reta final eu estava mais centrado e pude ajudar o time. Ano que vem vou ter mais tempo no futebol brasileiro, mais adaptado e tentar fazer um grande ano – avalia.

Vitor Hugo, inclusive, chegou a levar “bronca” de Rogério Ceni no centro do campo, após a partida contra o São Paulo, na 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, o zagueiro se aventurou no ataque, e o Tricolor acabou sofrendo um gol nos minutos finais. Ele garante que levou com naturalidade a dura do professor.

Ele foi me perguntar por que fui para o ataque. Não teve discussão, não teve nada. A gente conversou de pertinho porque ele goste que fale olhando nos olhos dele”.

— Vitor Hugo

– Ele me perguntou por que eu fui para o ataque. Eu disse que queria ganhar o jogo. Ele me explicou que estavam contando com o empate que tirava a gente da zona. Mas não teve problema. Mantive o bom relacionamento com ele. Foi bem interessante. É de quem quer vencer. A gente se cobra dentro de campo e depois se abraça. A gente tem que acatar porque ele é o nosso superior. Não foi nada demais. Foi logo que acabou o jogo. Acontece também. Conseguimos contornar isso – revelou o zagueiro após a vitória contra o Galo. Globoesporte