Crédito: Victor Ferreira/EC Vitória

A recuperação do Vitória no Campeonato Brasileiro foi interrompida. Depois de quatro jogos de invencibilidade, o Leão tropeçou na noite deste domingo (23) e foi derrotado pelo Red Bull Bragantino, por 2×1, no estádio Nabi Abi Chedid. O resultado fez o Leão voltar para a zona de rebaixamento.

Contra um adversário que controlou a partida a partir da posse de bola, o Vitória fez um bom jogo defensivo e saiu na frente com gol de Jean Mota. Mas o rubro-negro cometeu erros e levou a virada. Eric Ramires, no primeiro tempo, e Helinho, no segundo, balançaram as redes para o Red Bull.

A derrota quebrou a sequência de quatro jogos sem perder que o Leão ostentava na Série A e deixou o time estacionado nos nove pontos. A pontuação é a mesma do Atlético-GO, mas por conta do saldo de gols, o Vitória caiu para a 17ª posição, dentro do Z4.

Nos próximos dias o rubro-negro continuará longe dos seus domínios. Na quinta-feira (27), o Leão encara o Fluminense, no Maracanã, em confronto direto na parte de baixo da tabela. O Flu é o lanterna do Brasileirão, com seis pontos.

O JOGO

Em busca de um novo triunfo no Brasileirão, Thiago Carpini mudou o time. Recuperado de lesão, Rodrigo Andrade voltou a ser titular e formou o meio-campo com Willian Oliveira, Léo Naldi e Jean Mota. Na frente, Culebra e Luiz Adriano foram escalados no ataque. Nomes como Matheuzinho e Osvaldo ficaram no banco.

Apesar de ter um meio-campo mais povoado, o Vitória começou a partida correndo atrás do Bragantino, que usou da posse de bola para controlar o jogo. Posicionado para puxar o contra-ataque, o Leão tinha em Culebra uma opção de escape rápido.

A estratégia fez o rubro-negro ser pressionado. Antes dos dez primeiros minutos, o Red Bull conseguiu três boas chances para abrir o placar. Em uma delas, Lucas Arcanjo salvou o Vitória na cabeçada de Lucas Sasha.

A equipe baiana ia se defendendo das investidas do adversário, mas quando colocou a bola no chão colheu os primeiros frutos. Aos 16 minutos, Luiz Adriano tabelou com Willian Oliveira e deixou para Jean Mota. O meia soltou chute forte da entrada da área e abriu o placar para o Leão: 1×0.

Mesmo com a vantagem baiana, o panorama da partida não se alterou. O rubro-negro se fechou com duas linhas e deixou a penas Luiz Adriano na frente para tentar puxar o contra-ataque. Lá atrás, a defesa conseguia se defender bem e deixava a torcida da equipe da casa impaciente.

Na reta final da primeira etapa, o Vitória voltou a apertar no ataque. Aos 38 minutos, Culebra saiu livre e tocou no canto de Cleiton, mas o gol foi anulado por impedimento. Minutos depois, Lepo mandou cabeçada venenosa e exigiu uma boa defesa de Cleiton.

O segundo gol rubro-negro parecia cada vez mais perto, mas foi o Red Bull quem conseguiu chegar ao empate. Lucas Arcanjo salvou o chute forte de Lucas Sasha, mas o rebote ficou com Eric Ramires, que deixou tudo igual aos 47 minutos.

Thiago Carpini decidiu deixar o Vitória mais ofensivo e voltou do intervalo com o lateral Cáceres no lugar do volante Willian Oliveira. Com isso, o time fez uma linha de três zagueiros, liberando os alas.

Assim como no primeiro tempo, foi o Bragantino que assumiu o protagonismo da partida nos primeiros minutos. Arcanjo salvou na bomba de Lucas Evangelista, enquanto Vitinho perdeu uma chance incrível na pequena área.

Na base do contra-ataque, o Vitória ficou perto do segundo. Culebra recebeu lançamento da defesa, carregou até a pequena área e cruzou para Luiz Adriano. A bola ia chegar limpa para o centroavante, mas Juninho Capixaba conseguiu cortar e evitou o gol.

Diante de um duelo aberto, o Red Bull acabou mostrando mais eficiência. Aos 20 minutos, Lucas Evangelista construiu a jogada no meio campo e tocou para Helinho. O atacante invadiu a área e chutou cruzado, virando o jogo para os paulistas.

Após o tento do Red Bull, Carpini voltou a mexer no time e colocou Matheuzinho e Osvaldo nas vagas de Jean Mota e Reynaldo, respectivamente. O Vitória se lançou ao ataque, mas criou poucas chances claras. De longe, Lepo assustou o goleiro Cleiton.  Sem conseguir chegar ao empate, o Leão viu o tempo passar e ao apito final lamentou a derrota fora de casa. Correio da Bahia