“Andei muito triste”, resume o cantor Zeca Pagodinho sobre o período de isolamento social por causa da pandemia da covid-19. Sem poder conviver com os amigos, o sambista não teve ânimo para compor nos últimos meses, mas prevê dias melhores e diz estar melhorando. O cantor e compositor pensa em criar músicas sobre as vacinas contra o vírus e anuncia, em tom de brincadeira: vai tomar todas as imunizações possíveis. Uma vacina em cada braço e uma em cada nádega, disse, em entrevista ao Fantástico da TV Globo neste último domingo (6). “E me aguarde. Onde me chamar, eu vou”, avisou, referindo-se ao pós-quarentena. Ele comemora neste final de 2020 os 25 anos do álbum “Samba pras Moças”, considerado um divisor de águas em sua trajetória artística de 35 anos e histórico também na linha do tempo do samba. Lançado em 1995 e definido como uma “pérola” da discografia de Zeca, o álbum foi relançado em novembro nas plataformas digitais pela Universal Music, com nova mixagem. Também como parte das comemorações, foi lançado o lyric vídeo de “Vou botar teu nome na macumba”, primeira parceria de Zeca e Dudu Nobre e uma das faixas do álbum.